Publicado em 07 de novembro de 2019

3 erros que levam PMEs e startups à morte prematura

Falta de planejamento e a dificuldade para definir prioridades são erros letais, afirma especialista

Gerir o próprio negócio é um desafio. Há diversos problemas para resolver, organizações a fazer e contas para pagar. Os erros são frequentes. Segundo dados do Sebrae, juntamente com o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, cerca de 30% das startups encerraram as atividades ainda em estágio inicial.

“A falta de tempo para planejamento, a dificuldade de definir prioridades e a cultura de não se atrair pelas finanças levam muitos pequenos empreendedores às escolhas erradas”, explica Deniane Bezerra, fundadora e CEO da Vibratto, empresa especializada na terceirização financeira de startups e PMEs.

Ao longo dos últimos anos, a executiva vem ajudando novos empreendedores a começarem tudo do jeito certo. Ela afirma que, na Vibratto, auxilia empreendedores para que possam evitar o efeito "bola de neve" nas contas e tenham também um antídoto para a morte prematura de PMEs, que muitas vezes ocorre por falta de informação.

Segundo Deniane, os principais erros na gestão de uma PME ou startup vão desde misturar as finanças pessoais com as empresariais até não criar ou atentar-se ao planejamento financeiro. Confira:

Cuidados e organização no começo
"Sabemos que no início de qualquer negócio o empreendedor muitas vezes precisa ‘se virar nos trinta’ para fazer tudo. A fase de definir prioridades pode tomar um pouco de tempo. O ganho, em longo prazo, com este cuidado é enorme. Um bom planejamento estratégico permite uma visão mais ampliada e consistente para tomadas de decisão precisas no gerenciamento financeiro. O empreendedor pode começar organizando as informações financeiras em um sistema de gestão e, claro, criar a cultura de olhar e criticar os números e ir promovendo os ajustes necessários”.

Como evitar a morte prematura de empresas?
“O empreendedor pode começar com a organização financeira para detalhar as entradas e saídas dos recursos. Além disso, a ajuda profissional pode ser muito útil para enxergar pontos cegos, enxugar custos e criar mais tempo para a gestão do negócio. Em tempos de crise e de mudanças extremamente repentinas, ter um planejamento financeiro bem desenhado deixa de ser uma escolha para tornar-se vital. Mais do que isso, não adianta fazê-lo e guardá-lo na gaveta, é indispensável segui-lo, observando o que pode ser aprimorado e direcionando sua energia para o que gera mais lucro para a empresa”.

Olho no budget
“Atenção ao orçamento estipulado é primordial. Estipule um budget máximo para cada setor do seu negócio de acordo com o seu fluxo de caixa. E o mais importante: resista à tentação de sair comprando sem antes ter certeza de que realmente terá receita suficiente ao longo dos meses para quitar”.

Fonte: Portal Administradores


Receba nossa newsletter Fique sempre bem informado com a nossa newsletter!

Cadastre-se