Utilitários Contábeis

Funcionário contratado para cobertura de férias deve ganhar salário integral; entende decisão do TST


10/07/2024
Brasil
Contábeis

No Tribunal Superior do Trabalho (TST), a maioria das turmas entenderam que um funcionário contratado para cobertura de férias ou licença deve ganhar o salário integral da pessoa substituída, conforme levantamento do FAS Advogados

As turmas entendiam que como havia apenas uma substituição parcial, não haveria necessidade de pagamento integral do salário. O posicionamento, no entanto, surpreendeu os advogados de empresas.

No ano de 2005, os ministros editaram uma súmula que afirmava que “enquanto perdurar a substituição que não tenha caráter meramente eventual, inclusive férias, o empregado substituído fará jus ao salário contratual do substituído”.

 

Apesar dessa questão, a súmula ainda acrescenta que caso o cargo definitivo fique vago, o empregado que irá ocupá-lo não terá direito a salário igual ao de seu antecessor.

Até então, muitas empresas adotavam essa prática de dividir as funções do funcionário afastado, sendo assim assumidas parcialmente por outros empregados e, então, evitando custos maiores em substituições ou licenças.

“A ideia é que ninguém tivesse um acúmulo muito grande de funções no dia a dia. E assim evitar que uma determinada pessoa assumisse 100% das atividades do afastado, economizando assim o pagamento do salário substituição”, explica o advogado Luiz Eduardo Amaral.

 

Diante desse cenário, os funcionários começaram a ir até a Justiça para levar o caso, sendo assim direcionada ao TST. Com isso, em 2023, houve unanimidade de votos ao dar a um empregado o direito de receber diferenças salariais ao substituir as funções de dois funcionários de férias, mesmo que tenha dividido as atividades com outros trabalhadores.

O ministro e relator do caso, Claudio Brandão, afirma que a Súmula nº 159, inciso I, do TST, “não determina que a substituição deve ser da totalidade das atividades do substituído”.

Mesmo com a decisão das turmas do TST, a tendência tem sido em determinar o pagamento de salário integral e, para o advogado Luiz Eduardo Amaral, a substituição de empregados afastados ou licenciados é uma prática comum em todas as empresas.

“Ao fazer um estudo para um cliente sobre o tema, fiquei surpreso ao ver que a maioria das turmas do TST têm dado o salário integral e não parcial, aos empregados que venham a assumir as funções daqueles que se afastaram”, diz.

Em vista disso, o advogado orienta que as companhias verifiquem a prática atual adotada e se estão pagando, sequer, a proporcionalidade, já que o tema passará a ser apontado pelas auditorias como passivo trabalhista.


O nosso site usa cookies

Utilizamos cookies e outras tecnologias de medição para melhorar a sua experiência de navegação no nosso site, de forma a mostrar conteúdo personalizado, anúncios direcionados, analisar o tráfego do site e entender de onde vêm os visitantes.

Centro de preferências de cookies

A sua privacidade é importante para nós

Cookies são pequenos arquivos de texto que são armazenados no seu computador quando visita um site. Utilizamos cookies para diversos fins e para aprimorar sua experiência no nosso site (por exemplo, para se lembrar dos detalhes de login da sua conta).

Pode alterar as suas preferências e recusar o armazenamento de certos tipos de cookies no seu computador enquanto navega no nosso site. Pode também remover todos os cookies já armazenados no seu computador, mas lembre-se de que a exclusão de cookies pode impedir o uso de determinadas áreas no nosso site.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são essenciais para fornecer serviços disponíveis no nosso site e permitir que possa usar determinados recursos no nosso site.

Sem estes cookies, não podemos fornecer certos serviços no nosso site.

Cookies funcionais

Estes cookies são usados para fornecer uma experiência mais personalizada no nosso site e para lembrar as escolhas que faz ao usar o nosso site.

Por exemplo, podemos usar cookies de funcionalidade para se lembrar das suas preferências de idioma e/ ou os seus detalhes de login.

Cookies de medição e desempenho

Estes cookies são usados para coletar informações para analisar o tráfego no nosso site e entender como é que os visitantes estão a usar o nosso site.

Por exemplo, estes cookies podem medir fatores como o tempo despendido no site ou as páginas visitadas, isto vai permitir entender como podemos melhorar o nosso site para os utilizadores.

As informações coletadas por meio destes cookies de medição e desempenho não identificam nenhum visitante individual.

Cookies de segmentação e publicidade

Estes cookies são usados para mostrar publicidade que provavelmente lhe pode interessar com base nos seus hábitos e comportamentos de navegação.

Estes cookies, servidos pelo nosso conteúdo e/ ou fornecedores de publicidade, podem combinar as informações coletadas no nosso site com outras informações coletadas independentemente relacionadas com as atividades na rede de sites do seu navegador.

Se optar por remover ou desativar estes cookies de segmentação ou publicidade, ainda verá anúncios, mas estes poderão não ser relevantes para si.

Mais Informações

Para qualquer dúvida sobre a nossa política de cookies e as suas opções, entre em contato conosco.

Para obter mais detalhes, por favor consulte a nossa Política de Privacidade.

Contato